Selva.

sao-paulosao-paulo
Vagamos em um mundo hostil onde a selva é de pedra e os corações são de concreto.
O que tem mais tira de quem tem menos.
Onde os sonhos são comprados a qualquer preço sem importar onde ou em quem vão pisar. 
O interesse próprio é maior que a compaixão e o amor ao proximo.
Dão mais valor ao que se tem do que ao que se é. 
As pessoas desvalorizam o que é puro e o que é fulgar tem hoje o valor.
Sera Sodoma e Gomorra, so tenho dó das marionetes cegas que povoaram nosso planeta

De onde eu vim.

074d3b38f32eef70a52888061586dee7 1952ba69c0ab8829642b755984305689 9203c7db559ffaef4490f23b79f6a7b3 e4ee148d1e9ef12e9d925f494350e2c7 f1e56c701b830f39dcb786220046c44c
De onde eu vim.

De onde vim não foi possível pegar atalhos.
Melhor ou pior sempre segui meu caminho.
Mesmo que a vida seja de mão dupla.
Muitas vezes plantei lagrimas e em troca recebi carinho.

Muitas vezes tive que voltar ao ponto de partida.
E nunca é errado recomeçar.
A vida é feita de cair e levantar.
O difícil mesmo é desistir antes de tentar.

By. Paulinha Pereira.

Por traz da lente.

411133c8f2933d7c26d7e780a4776ead 47f5abb0cb26a9a8a7c03cd80696358f b74a33b6ccca709302d5487837a134d5

Por traz da lente.

De quem será os olhos.
Que pelas lentes vêem a alma.
Que mesmo por traz do sorriso, vê a lagrima
E em meio às lagrimas vê esperança.

Muitas vezes capta a essência adormecida
As origens escondidas.
Que coleciona momentos.
Que registra em uma imagem o pensamento.

De quem será esses olhos?
Que inspiram histórias.
Que criam cenários.
E registram histórias.

São os olhos de quem fotógrafa.
Os que olham o mundo por de traz das lentes.
Pois se recordar é viver.
E fotografar é recordar.

By. Paulinha Pereira.

Estrada da vida.

Paulinha Pereira

Estrada da vida.Estrada da vida.

Ah! se eu entendesse a vida.

E o rumo que vai tomar.
Pagaria para ver até onde vai chegar.
Cada parte da jornada.
Sozinha ou acompanhada.
Posso até me dispersar.
Mais sempre volto para estrada.
Vou caminhando ou de carona, as vezes pago condução.
Mas a vida é engraçada.
E até machuca o coração.
Mais é dor que passa logo.
E se não passa fortifica.
E é essa dor morteira que quase sempre edifica.
Pois as batalhas nos prepara.
Para guerra do caminho.
Ainda bem que tenho um pai.
Que não deixa nenhum filho andar sozinho.
Esse pai é lá do céu.
Falo com ele tudo dia.
Ele esta comigo na tristeza e na alegria.
Da vida eu não sei nada.
E nem quero mais saber.
Só te falo uma coisa:
Feliz ainda vou ser…

By. Paulinha Pereira By. Paulinha Pereira

Ver o post original

Mais uma vez amor…

amor

De tudo que já vivi até hoje.
Nada se compara a esse amor.
Onde em seus braços me sinto segura.
Me protege com um só abraço de toda dor.

Quando a noite me envolve em seus braços.
Com o seu calor me aquece do frio.
Entre carinho caricias e cuidados.
E pegadinhas que causa na pele um arrepio.

Sentimento verdadeiro.
Que vai além da vontade carnal.
Que nos alegra só em estar perto um do outro.
Que nos faz esquecer de tudo que é mal.

By. Paulinha Pereira

Sou gordinha sim.

Paulinha Pereira
Sou gordinha sim.
Tenho curvas sou jeitosa.
Sou mulher igual as outras.
Sei provocar pois sou gostosa.
 
Falam do meu olhar provocante.
Elogiam minha beleza natural.
Sou bonita sem precisar ser magra.
Sou uma mulher da beleza real.
 
Meu corpo não me diferencia de ninguém.
Minha personalidade sim.
Eu tenho meu modo próprio de pensar.
O que me diferencia é o meu modo de agir.
 
Sou romântica, sou simples, sou mulher.
Posso ter curvas, gordurinhas.
Sou bela pelo que sou.
Sou feliz com minhas dobrinhas.
 
Sou fora do padrão.
Tenho meu modo de ser bonita.
Não ligo para o preconceito.
E assim sou feliz nessa vida.
By. Paulinha Pereira

Sertão.

sertao

Com as coisas da roça, é muito raro não se acostumar.
Silêncio profundo, que se quebra com pássaros a cantar.
Flores bonitas e borboletas a voar.
A beleza dos rios, a pureza do ar.
Comidas, que são bem diferentes com as da Cidade.
Pessoas que não se sabe nem a idade.
Pois muitos trabalham de sol a sol, arando o chão.
É dura a lida dos moradores desse sertão.
Trabalham duro mais tem orgulho de sua plantação.
E a todos que chegam recebem com amor no coração.
Leite de vaca tirado na hora podemos tomar.
Montar a cavalo e sair por ai a galopar.
Vendo paisagens e pela manha o sol ilumina o chão.
Em lugar nenhum existe um céu, como do sertão.
O céu estrelado que trás alegria em meu coração.
E o luar tão lindo que brilha na noite e me faz pensar.
Que por esse céu vale a pena nesse lugar está.
Como Deus é perfeito em tudo que aqui fez.
De glorias a ele por tudo isso cada dia pelo menos uma vez.
O fogão a lenha que cozinhamos a refeição.
A aguá que corre e cada criação desse sertão.
Agradeça a Deus de tudo seu coração.
No escuro da noite escuto grilos a cantar.
Vaga-lumes voando ilumina o escuro no ar.
E pela manha o que me acorda é o galo cantando.
E com isso tudo eu já estou me acostumando.
E com essa tranquilidade muitos na terá estão sonhando.
Pois correm muito, noite e dia na agitação.
Barulhos, buzinas, caros que correm na contra mão.
Querem ter paz mas não querem sair da agitação.
Eu era assim mais achei um lugar nesse sertão.